19/12 17:32

“Quem ganha é a sociedade”, dizem visitantes em exposição de produtos confeccionados por detentos

Fardamento feito por detentos

Até este sábado (22) quem passeia pelo São Luís Shopping, no bairro do Jaracati, tem a oportunidade de conhecer um pouco dos avanços e dos trabalhos realizados por detentos das unidades do Sistema Prisional do Maranhão.

Montada pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), a exposição tem agradado aos visitantes pela beleza e pela criatividade dos itens mostrados e, especialmente, pelo resultado da iniciativa na vida dos detentos e da sociedade.

“É uma iniciativa muito boa, aqui a gente pode ver um trabalho artesanal, dessas pessoas que estão passando por um processo de reaprendizagem e podem aprender uma nova profissão. E esses produtos podem ser utilizados pela comunidade”, diz o professor e publicitário José Ribamar Marques, um dos visitantes.

Produção artesanal

Estagiária de Engenharia da Produção na Secretaria de Administração Penitenciária, Wendy Maiara levou a mãe e as irmãs para ver de perto o trabalho que ela ajuda a realizar todos os dias. Ela destaca a importância do trabalho de ressocialização realizado pelo Governo do Maranhão nas unidades prisionais do estado.

“Eu acho importante mostrar para a sociedade o que está sendo feito no sistema e as melhorias, e quem ganha não é apenas o interno, que terá uma profissão, quem ganha é a sociedade também”, diz.

Trabalho e ressocialização

Desde 2015, as oficinas de trabalho têm sido implementadas em todas as 44 unidades prisionais. Atualmente são 136 oficinas que envolvem mais de 2.200 pessoas presas.

Material feito por detentos

“Temos a produção de malharia, o fardamento da pessoa presa é confeccionado todo dentro das nossas malharias, com o trabalho dos próprios presos. Da mesma forma são feitos os chinelos, as vassouras em garrafas PET e os móveis feitos em pallets, e muitos outros itens, que são vendidos todos os domingos na Feirinha de São Luís, na Praça Benedito Leite”, conta a secretária adjunta de Atendimento e Humanização Penitenciária, Kelly Carvalho.

A renda obtida com a venda dos itens retorna para os cofres públicos, de onde sai a verba para aquisição de insumos para as oficinas e para remuneração do trabalho dos detentos.

peça em exposição

A aposentada Elcy Costa Soares, que já tinha ouvido falar das ações de ressocialização, gostou do que viu.

“É um incentivo, porque o que estão aprendendo lá, assim que saírem, é um meio de viver, que estão aprendendo e aqui fora vão poder praticar”, diz a aposentada. Ela gostou muito dos móveis de pallet e se surpreendeu com reutilização de pneus para confecção de um sofá.

“Chamou atenção porque é uma coisa que fica jogada, às vezes ninguém usa, se acaba no lixo e ficou lindo!”, declara.

Exposição

Em sua terceira edição, a Exposição Novos Rumos reúne itens de produção dos detentos, que vão de fardamentos a chinelos, até móveis e blocos de concreto para pavimentação de ruas. Também é possível conferir ações que ao longo dos últimos quatro anos garantiram mudanças no sistema prisional maranhense.

Jogo de sala confeccionao por detentos

“Infelizmente, algumas pessoas ainda têm a visão das tragédias que aconteceram em Pedrinhas, antes da atual gestão, por isso o objetivo é trazer para a sociedade o que é o Sistema Penitenciário do Maranhão na atualidade”, afirma a secretária adjunta Kelly Carvalho.

Com mostra estendida até o dia 21 de dezembro, o espaço também vai receber debates e rodas de conversas sobre trabalho, ressocialização e sistema penitenciário.

Banco feito com pneus

O evento fica aberto ao público diariamente das 10 às 22h, no São Luís Shopping, em espaço situado entre o Hiper Bompreço e a CVC Turismo.

Texto: Izabella Silveira
Fotos: Nael Reis

—————————-

Contatos

contatos

GERAL

Fone: (98) 99101.5131

Localização

localização